quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Mater purissima, ora por nobis!

       
         Maria santíssima é mãe puríssima, ja que a pureza é uma bem-aventurança: "Felizes os puros de coração, porque verão a Deus"( Mt 5,8) e ela é bem aventurada,( Lc 1, 48). Foi Deus mesmo quem a fez assim, para que fosse digna mãe de seu santíssimo filho, " Eu vós desposei a um único Esposo, apresentando-vos a Cristo como virgem pura"( 2 Cor 11, 2) E ela que foi escolhida pelo Espirito Santo como esposa, para misticamente gerar O verbo( Cristo) na carne, foi por Ele santificada desde sua imaculada concepção é digna de louvor, " Não chame de impuro aquilo que Deus tonou puro( At 10, 15) E ja dizia São Bernardo que Deus não poderia escolher um tabernáculo mais puro para a sua mãe.
      Nesta invocação exautamos a onipotencia de Deus, Trindade bem-aventurada, que se dignou fazer tamanha obra em sua serva, ( Lc 1, 47-49) e sob a proteção da Mãe puríssima, desejamos imita-la no pussível para também agradarmos a Deus, e conservar-nos puros ( 1 Tm 5, 22)

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Mater divinae gratiae, ora por nobis!

                 
  Sendo Maria verdadeira Mãe de Jesus Cristo, que é Deus encarnado, ela é portatando Mãe da divina graça que é Jesus. " A graça de Deus, fonte de Salvação, manifestou-se a todos os homens"( Tito 2, 11) Foi a Santíssima Virgem que Deus eterno e supremo escolheu para ser a Mãe de seu divino Filho e nosso Salvador, e essa foi a maior graça dada a uma criatura no universo, Assim sabemos que o onipotente alem de te-la dado a maior de todas as graças a fez: "cheia, repleta" de graças, ( Lc 1, 28) e sendo ela a porta pela qual Jesus, a graça de Deus( Tito 2, 11) veio ao mundo, tornou-se a medianeira da graça! " Deus reuniu todas as águas e chamou-as mar, reuniu todas as graças e chamou-as Maria!" ( S. Antonio, S.Afonso, S. Bernardo, S. Luiz), E Deus que não volta atraz em suas obras, quer que Maria continue sendo dispensadora de todas as graças.

" Querer uma graça sem a intervenção de Maria é querer voar sem asas" ( Santo António)

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Mater Christi, ora por nobis!

Sim, Maria é Mãe de Jesus Cristo, Ela não foi somente um instrumento que Deus usou para Jesus vir ao mundo e pronto,acabaria seu papel na história... Ela foi considerada digna aos olhos do Criador, " Deus se encantou com tigo "( Lc 1, 30) O verbo encarnou-se em Maria. Nesta invocaçao, nós Proclamamos Jesus, o Filho de Maria, o Cristo, como confessou São Pedro " Tu eis o Cristo, o Filho do Deus Vivo"(Mt 16,16) o mesias prometido, o filho de Deus! " Aquele que vai nascer de ti será chamado Santo, o Filho de Deus"( Lc 1, 35) Deus escolheu esse meio, " Quando se completou o tempo previsto, Deus enviou o seu Filho, nascido de Mulher, nascido sugeito a Lei."( Gl 4,4) Essa foi sempre a fé da Igreja, “encarnou-Se, isto é, foi gerado de modo perfeito pela Santa Maria, a sempre Virgem, por obra do Espírito Santo” Santo Epifanio, ano 364 (Ancoratus, 119,5; DS 44).  
Sempre fique admirado com tamanhas graças que Maria recebeu, deu-lhe de mamá, lavou e teceu suas roupas, lhe ensinou a andar,falar, ler, contou-lhe historias para dormir, e perdeu noites de sono quando ele ficara doentinho, Pois isso ninguem jamais amou e amará mais a Jesus que Maria, nem ninguem jamais amou nem amará mais a Maria que Jesus, Deus deu-lhe o poder de instruir Jesus, dar-lhe concelhos e ordens de Mãe" E ele lhes era submisso"( Lc 2,51)  Não somente durante sua infância, mas Deus quiz que Maria santíssima fosse sempre honrada como Mãe  de Jesus, o Deus- humanado! " Reina sobre nós, com teu Filho" ( Jz 8, 22)  " Tudo esta subordinado ao imperio de Maria"( São Benardino de Siena)" A Direita do Rei está a rainha"( Salmo 45, 9)
 

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Sancta Virgo Virginum, ora por nobis



           
 A Igreja reconheceu em Maria o cumprimento da profecia : “ Eis que a Virgem conceberá e dará a luz um filho e lhe porá o nome de Emanuel!”( Isaias 7, 14) Os Evangelhos atestam ser Maria essa virgem prometida à séculos: “ O Anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem prometida em casamento a um homem de nome José, da casa de Davi, A virgem se chamava Maria.” ( Lc 1,26-27) Mas a fé da Igreja é que Maria não foi virgem apenas antes do parto, Mas que ela é Virgem perpetua, para Sempre, esse dogma foi proclamado solenemente no concílio de Latão em (639)  Mas os cristãos dos primeiros séculos já usavam a expressão grega :aeiparthenos – “sempre virgem” – para se referir a Mãe de Jesus.  Também  no segundo símbolo de fé de Santo Epifânio, no ano 374,  encontramos a fé da Igreja primitiva “encarnou-Se, isto é, foi gerado de modo perfeito pela Santa Maria, a sempre Virgem, por obra do Espírito Santo” (Ancoratus, 119,5; DS 44). A expressão “sempre Virgem” é retomada pelo II Concílio de Constantinopla (553), que afirma: o Verbo de Deus, “tendo-Se encarnado da santa gloriosa Mãe de Deus e sempre Virgem Maria, nasceu dela” (DS 422). Esta doutrina é confirmada por outros dois Concílios Ecumênicos: o Lateranense IV (1215) (DS 801) e o Concílio de Lião (1274) (DS 852).
        Uma formula simples para catequizar o povo é Virgem antes, durante e depois do parto. Virgem antes de gerar Jesus por obra do Espirito Santo(Lc 1,26-37) Virgem, durante o parto: O Papa Ormisdas esclarece que “o Filho de Deus Se tornou filho do homem, nascido no tempo como um homem, abrindo no nascimento o seio da Mãe (cf. Lc 2, 23) e, pelo poder de Deus, não destruindo a virgindade da Mãe” (DS 368). A doutrina é confirmada pelo Concílio Vaticano II, no qual se afirma que o Filho primogênito de Maria “não só não lesou a sua integridade virginal, mas antes a consagrou” (LG 57) E virgem depois do Parto, Como duvidar das palavras do Arcanjo enviado por Deus, “ Terás UM filho, e lhe darás o nome de Jesus”( Lc 1, 31) Se Maria fosse ter outros filhos, o anjo deveria indicar, qual seria chamado Jesus, Mas São Gabriel diz apenas, “Terás UM filho!”  Quem Mais mereceria habitar o mesmo ventre Que Deus- filho habitou? Se Jesus tivesse outros irmãos biológicos eles que iriam cuidar de Sua Mãe após sua Morte, Mas como ele era o Filho Único, ele a entrega a João, seu amigo.( Jo 19,25-27)
       A Igreja chama Maria Santíssima de Virgem das Virgens, indicando que sua virgindade é plena, de corpo, alma, mente e coração. E que ela é a Rainha das virgens, dos virgens, de todos que se consagraram inteiramente a Deus a seu exemplo.  "Ao ser levada aos céus a Virgem das virgens por Deus e seu Filho, o Rei dos reis, no meio da exultação dos anjos, da alegria dos arcanjos e das aclamações de todo o céu, cumpriu-se a profecia do Salmista que diz ao Senhor: Está à tua direita a rainha recoberta de vestes de ouro" (Sl 45,10.15). Santo Amadeu, do século XII.
E depois de todas essas belíssimas provas da virgindade perpétua da Mae de Nosso Salvador, pergunto quem esteve ao lado de Jesus, desde o momento de seu nascimento até sua morte na Cruz, Sim, sua Mae, Maria santíssima, São os Virgens, estes seguem o cordeiro aonde quer que ele vá”( Ap 14, 4)

domingo, 30 de dezembro de 2012

Sancta Dei genitrix, ora por nobis

                                                 



       
    Nesta invocação chamamos Maria de Santa Mãe de Deus, uns se perguntam como Maria pode ser Mãe de Deus, se Deus é eterno, sem princípio nem fim? Primeiro é preciso compreender que Maria é mãe de Deus porque Jesus é Deus! A segunda pessoa da Santíssima Trinadade. Ela é Mãe do verbo encarnado, foi ela que Deus escolheu para encarnar-se, para gerar sua natureza humana.
          Já no século V havia quem negasse a Maria esse seu Maior Título, de Mãe de Deus, afirmando para isso que Maria teria  apenas dado a luz a Jesus, isto é : o verbo não tinha utilizado dela para gerar sua natureza humana. Diziam: saiu dela mais como quem passa do que como quem é gerado, através dela, não dela, tendo na Virgem não uma mãe ,mas um caminho" (Tertuliano, Contra os Valentinianos 27,1 [CC2, p. 772] )”. Mas, a Igreja soube ouvir as palavras do Espirito Santo pela boca de Isabel: “"fruto de seu ventre" (Lc 1,42) e ainda:”tu eis o meu filho, eu hoje te gerei”( Sl 1,43) Assim como Deus utilizou o barro que ele mesmo criou para fazer o 1º Adão ele utilizou Maria para nela e dela gerar o 2º Adão( Cristo) segundo a carne.
             Outros afirmavam que sim, Maria era Mãe da humanidade de Jesus, Mas não poderia ser chamada Mãe de Deus pois não era mãe de sua divindade,  essa questão é ainda mais simples, ora todos nós recebemos de nossas mães biológicas a matéria, o corpo, a alma por sua vez foi criada por Deus, e nem por isso dizemos que nossa mãe é só mãe do nosso corpo, Mas mãe da nossa pessoa, Assim as Naturezas Humanas e Divinas em Jesus Cristo estão tão unidas que Formam uma só pessoa o Jesus Deus-Homem. Como posso merecer que a Mae do meu Senhor( Kyrios) venha me visitar?”(Lc 1, 43)
          Assim a Proclamação solene do Dogma de Maria Theotókos, isto é Mãe de Deus, no concilio de Éfeso em 431, é a mais pura defesa da divindade de Cristo e da união sublime de sua humanidade e divindade. Mais uma vez a Santa Mae Igreja sabe catequizar seus filhos de forma tão simples e bela através das orações, Conta-se que o Papa Celestino I que presidio esse Santo concilio ao termino deste ajoelhou-se diante dos padres conciliares e elevando as mãos aos céus disse :”SANTA MARIA, MAE DE DEUS ROGAI POR NÓS PECADORES, AGORA E NA HORA DE NOSSA MORTE,” dai teria surgido uma das orações mais conhecidas no mundo cristão.
  "Se alguém não confessar que Deus é verdadeiramente o Emmanuel e que por isso a Santa Virgem, tendo gerado segundo a carne o Verbo de Deus feito carne, é a Theotókos, seja anátema" São Cirilo Alexandrino, anatematismo I contra Nestório, in Enchiridion Symbolorun,